Peaky Blinders – uma aula de alfaiataria para entender as origens das peças mais clássicas do homem

A série estreia a sua sexta e última temporada e dá mais um show de figurino

Com a aproximação da estreia da sexta e última temporada da incrível série britânica Peaky Blinders, decidimos contar aqui por que você deve assistir – e se ainda não conhece ou não viu as temporadas anteriores, comece já! O criador da produção, Steven Knight, revelou que essa temporada será uma tragédia para a família Shelby, protagonista da saga. Ou seja, podemos esperar muitas emoções!

De acordo com Steven Knight, a ameaça da Segunda Guerra Mundial (que começa em 1939) vai ser o mote de tudo o que acontece na última temporada de Peaky Blinders, que é uma das séries mais estilosas já feitas. O astro Cillian Murphy faz Thomas Shelby, principal personagem da trama, que luta contra o fascismo sempre vestido com a mais impecável alfaiataria. Se você já viu algum episódio de Peaky Blinders, provavelmente já entendeu o motivo das pessoas serem tão viciadas na série. Trama envolvente, personagens fascinantes, excelente ambientação histórica e um figurino autêntico. Tudo isso transformou o programa em um sucesso mundial. Até os cortes de cabelo são um capítulo à parte!

A trama acompanha a trajetória da família Shelby após a Primeira Guerra Mundial. Tommy (Murphy) é o líder de uma gangue – chamada, justamente, de Peaky Blinders – que controla a cidade de Birmingham, na Inglaterra. Autoritário e destemido, ele briga com gangues rivais, enfrenta as autoridades e não mede esforços para ter sucesso nos negócios.

O nome da série é relacionado com a maneira com que os protagonistas se preocupam com sua imagem. A palavra peaky é utilizada para descrever a boina – onipresente nas produções da série – e blinder é uma gíria que significava alguém com boa aparência. Os membros da gangue têm como costume se vestir bem para se destacar dos demais habitantes de seu bairro. O alfaiate Keith Watson foi responsável por confeccionar os ternos de Thomas Shelby. Ele foi escolhido por ter a tradição de realizar cortes tradicionais desde os anos 1960. O figurino é composto por sobretudos pesados, calças de cintura alta e barras curtas. A explicação para a escolha de tais modelos é que Birmingham, na época, não tinha sistema de esgoto e todos evitavam que as roupas tocassem o chão.

É importante notar que há diferença de estilo nos integrantes da família Shelby. Por ser o líder, Tommy se veste com uma invejável sofisticação, refletindo sua ambição de integrar a alta sociedade inglesa. Neste sentido, acessórios como o relógio de bolso e as braçadeiras douradas que o protagonista usa por cima das camisas são importantes. Já Arthur, por não ter tais aspirações, prefere ternos mais casuais e gravatas borboletas ​​refletindo a classe executiva. 

Acessórios como o relógio de bolso fazem parte do figurino da série.

Peaky Blinders é uma aula de alfaiataria clássica e, para quem gosta, vale prestar atenção aos mínimos detalhes. Com o passar das décadas, no entanto, a alfaiataria evoluiu e deixou para trás a tradição de usar coletes nos ternos, por exemplo. A vida nas grandes cidades ficou bem mais dinâmica e, como resposta, o bom e velho costume se transformou em um uniforme muito mais versátil. Forros desapareceram, tecidos ganharam movimento e tecnologia, e regras caíram por terra. O blazer virou peça fundamental no closet masculino com o desmembramento do costume e as calças podem perfeitamente combinar com uma simples t-shirt lisa. Na Oficina, a alfaiataria tem lugar de destaque na linha Maleável. Podemos chamar as peças que compõem a linha de reinvenção da alfaiataria para o século 21. Não importa o seu estilo, o que vale é acompanhar a evolução dos hábitos e necessidades do homem.

Conheça as peças da Oficina que vão te ajudar a entrar no personagem!

Inscreva-se

Inscreva-se e receba conteúdo exclusivo

Deixe um comentário